Santacine

Conheça o Santacine e o que ele pode fazer pela sua empresa

Conheça Melhor

Notícias

ASSOCIADOS SANTACINE TEM 15% DE DESCONTO

ASSOCIADOS SANTACINE TEM 15% DE DESCONTO

Estão abertas as inscrições para a EXPOCINE, maior encontro de executivos dos mercados de exibição e distribuição de cinema da América Latina. Em 2019, a convenção abriu suas portas para a cadeia criativa que envolve, também, os produtores do audiovisual e se tornou um evento 360 do mercado cinematográfico (produção, distribuição e exibição).
 
O Pitching deste ano será dividido em ROTEIRO e projetos em busca de COPRODUÇÃO, abrindo oportunidades para roteiristas, produtores e estudantes apresentarem conteúdo a grandes players do mercado. 10 projetos serão selecionados para apresentação no evento.

Os valores da Credencial Premium são de R$105,00 no lote 1 (26 de agosto a 1 de setembro), R$135,00  no lote 2 (2 de setembro a 30 de setembro), R$150,00 no lote 3 (1 de outubro a 14 de outubro) e R$170,00 (15 de outubro a 16 de outubro) e para a Credencial Pitching são de R$140,00 no lote 1 (26 de agosto a 1 de setembro) e R$200,00 no lote 2 (2 de setembro a 30 de setembro).

Para o voucher com 15% de desconto utilize: EXPOCINE20_SANTACINE_ASSOCIADOS. Se inscreva pelo site >>> www.expocine.com.br/inscreva-se

Recomendações Sanitárias - Diretrizes para o audiovisual

Recomendaes Sanitrias - Diretrizes para o audiovisual

Estas diretrizes se destinam às práticas aplicadas nas etapas de trabalho que compõem a produção de obras audiovisual: pré-produção, filmagem e pós-produção, como produções publicitárias, produção de obras de longa e curta metragens, séries de TV, sessões fotográficas e documentários.  

O material orienta empreendedores, trabalhadores, autoridades de saúde e população quanto às medidas para práticas de proteção adequadas ao enfrentamento da disseminação da Covid-19. Há orientações quanto à higienização, à manutenção do distanciamento e ao comportamento sanitário necessário. 

  


PRODUÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS 

  

Recomendam-se: 

 

a. Em caso de projetos que exijam a vinda de profissionais de outros estados, esses deverão declarar formalmente que não possuem sintomas e que não tiveram contato com pessoas diagnosticadas com COVID-19; 

b. As diárias de filmagem NÃO devem ultrapassar 12h, incluindo pausas para refeição e todos os procedimentos de higienização acordados; 

c. As equipes de produção devem ser montadas com, no máximo, 25 pessoas, excluindo-se o elenco. Do elenco, apenas 10 terão permissão de estar no set de filmagem simultaneamente; 

d. As equipes das agências de propaganda e dos clientes deverão acompanhar as filmagens de forma remota por meio de videoconferência, podendo ter um representante único (e não um de cada empresa) no local da filmagem; 

e. Deve ser mantido o registro dos dados e informações de todos os participantes da filmagem por até um mês após seu término para que sejam tomadas medidas caso alguém apresente sintomas da COVID-19; 

f. Todos envolvidos na produção devem ter sua temperatura aferida ao assim que chegar ao local de filmagem; 

g. Devem estar disponíveis nos sets de filmagem álcool 70% suficiente para que todos tenham acesso; 

h. Os banheiros devem ser limpos e desinfetados, intensificando a frequência, sempre que necessário, especialmente logo após os momentos de uso; 

i. Preferencialmente as filmagens devem ocorrer em ambientes externos passíveis de serem isolados; 

j. No caso de filmagens internas, deve ocorrer em ambientes com ventilação natural, devendo ser EVITADO o uso de ar condicionado; 

k. A ocupação máxima deverá ser de 50% nos ambientes de filmagem e manter o distanciamento de 1,5m (um metro e meio) entre as pessoas; 

l. Intensificar a higienização com álcool 70%, preparações antissépticas ou sanitizantes de efeito similar, nos utensílios, superfícies e equipamentos, maçanetas, mesas, corrimãos, interruptores, sanitários, elevadores, vestiários e armários entre outros, respeitando a característica do material quanto à escolha do produto; 

m. Evitar cenas com situações de abraços, beijos e demais contatos físicos. Caso necessário, priorizar a contratação de famílias reais; 

n. Adequar roteiros para que não haja excesso de personagens interagindo com proximidade ou fisicamente e que preferencialmente não utilizem elenco que pertença a grupo de risco.

 

SETORES DE EQUIPAMENTOS, FIGURINOS E LOCAÇÕES 

 

Recomendam-se: 

 

a. Não utilizar o microfone de lapela; 

b. Todos equipamentos de produção e objetos que o elenco tiver contato deverão ser previamente higienizados e evitado seu compartilhamento; 

c. As locadoras de equipamentos devem entregar os equipamentos devidamente higienizados aos técnicos de produção que devem certificar-se que o procedimento foi realizado; 

d. Para acessar as locações internas todos os profissionais devem, no mínimo, utilizar máscara como proteção individual; 

e. A higienização prévia da locação é obrigatória antes das filmagens;  

f. Todas as peças de roupas e acessórios que serão utilizadas nas cenas deverão ser previamente lavadas e higienizadas. 

    

TRANSPORTE E A ALIMENTAÇÃO DOS PRODUTORES E ELENCO 

 

Recomendam-se: 

 

a. Transporte em carros individuais para os profissionais podendo ter, no máximo, 2 passageiros por carro. Todos devem utilizar máscaras e o carro deve ter disponível álcool 70%; 

b. O uso de van se dará com lotação de 50% da capacidade autorizada; 

c. A higienização dos caminhões de elétrica, maquinaria, arte, bem como a van de câmera deve ser realizada pelo operador desse, que podem ser acompanhados no máximo por mais uma pessoa na cabine; 

d. O horário das refeições deve ser escalonado, bem como devem ser disponibilizadas mais mesas para que haja o distanciamento de 1,5m (um metro e meio) entre as pessoas. 

 

FILMAGENS E USO DOS CAMARINS 

  

Recomendam-se: 

 

a. Higienização completa do local de filmagem antes da entrada dos técnicos e ao término da diária, caso seja uma locação privada; 

b. O microfone direcional tem que ser higienizado a cada a cada cena rodada onde haja troca de elenco ou troca de posição de câmera; 

c. Para evitar aglomerações, devem permanecer no set de filmagem apenas os profissionais necessários para cena; 

d. Manter o ambiente ventilado sempre que possível. Considerar uso de ar condicionado alternando com entradas de ar; 

e. Os camarins devem ser amplos e arejados e estar sempre abertos. Deve ser disponibilizado um para figurino e outro para maquiagem; 

f. Não compartilhar maquiagens ou pincéis de maquiagens; 

g. O elenco, deve permanecer de máscara enquanto faz cabelo, e tirála apenas para fazer a pele. Após maquiados, devem usar máscara até o momento de entrar em cena; 

h. Deverá ser orientado ao elenco trazer sua própria maquiagem, se possível.  

  

MEDIDAS INSTITUCIONAIS 

 

Recomendam-se: 

 

a. Priorizar o afastamento, sem prejuízo de salários, de empregados pertencentes ao grupo de risco, tais como pessoas com 60 anos ou mais, imunossuprimidos, com doenças preexistentes crônicas ou graves, gestantes, bem como as pessoas responsáveis pelo cuidado ou contato domiciliar de uma ou mais pessoas com suspeita ou confirmação de diagnóstico da COVID-19; 

b. Dispensar imediatamente todo trabalhador, que apresente qualquer dos sintomas de Covid-19, nos termos do Decreto Estadual n. 509/2020; 

c. Priorizar o trabalho remoto para os setores administrativos, quando possível, nos termos do art. 75-C, parágrafo 1º da CLT; 

d. Capacitar os trabalhadores, disponibilizar e exigir o uso dos EPIs apropriados para a realização das atividades; 

e. Recomenda-se que os locais para refeição dos trabalhadores, quando existentes, poderão ser utilizados com apenas 1/3 (um terço) da sua capacidade (por vez). Deverá ser organizado cronograma para sua utilização de forma a evitar aglomerações e cruzamento entre os trabalhadores (fluxos internos e de entradas e saídas), além de garantir a manutenção da distância mínima de 1,5m (um metro e meio);  

f. Os lavatórios dos locais para refeição dos trabalhadores e sanitários devem estar providos de sabonete líquido e toalha de papel;  

g. Recomenda-se a troca de roupa pelos trabalhadores ao final do expediente para retorno às suas residências; 

h. No caso de algum trabalhador apresentar sintomas de COVID-19, deverá buscar orientações médicas, bem como, ser afastado do trabalho, pelo período mínimo de 14 (quatorze) dias, ou conforme determinação médica, sendo que as autoridades de saúde local devem ser imediatamente informadas desta situação; 

i. Monitorar os trabalhadores, com vistas à identificação precoce de sintomas compatíveis com a COVID19 (sintomas respiratórios, tosse seca, dor de garganta ou dificuldade respiratória, acompanhada ou não de febre e ou sintomas gripais); 

j. Notificar os casos suspeitos ou confirmados de COVID-19 para a Vigilância Epidemiológica Municipal; 

k. Orientar os trabalhadores ou prestadores de serviço que apresentarem sintomas de infecção pela COVID-19, a buscar orientações médicas e afastá-lo do trabalho;  

l. Afastar todos os trabalhadores confirmados para COVID-19 bem como as pessoas que tiveram contato com este, em um raio mínimo de 1,5m (um metro e meio), em todos os ambientes em que a pessoa infectada tenha circulado;  

m. O trabalhador retornar às suas atividades mediante apresentação de atestado médico, da rede privada ou pública, atestando sua aptidão para o trabalho;  

n. Providenciar a realização de testes aos trabalhadores que forem classificados como casos suspeitos de doença pela COVID-19, mediante solicitação médica; 

o. Que a empresa disponibilize a vacina contra o vírus Influenza a todos os trabalhadores. 

p. Ao trabalhador com resultado positivo ou sintomático leve deve manter isolamento domiciliar por, pelo menos, 14 dias do início dos sintomas, podendo retornar às atividades após esse período desde que esteja assintomático por, no mínimo, de 72 horas ou após avaliação clínica.  

q. Ao trabalhador com resultado negativo pode retornar às atividades laborais desde que assintomático há mais de 72 horas ou após avaliação clínica.

 

ÀS AUTORIDADES DE FISCALIZAÇÃO 

 

 Recomendam-se: 

 

a. Analisar se há cumprimento das medidas de distanciamento e contra aglomerações; 

b. Verificar o cumprimento das normas sobre higienização do espaço e orientação aos usuários; 

c. Verificar o cumprimento das normas gerais e locais específicas sobre a atividade. 

 

Cabe aos órgãos de fiscalização municipal promover ações e operações que intensifiquem a fiscalização, sempre considerando o arcabouço legal pertinente em vigor. 


Ações para fortalecer o audiovisual catarinense

Aes para fortalecer o audiovisual catarinense

Nossa luta por políticas públicas para o desenvolvimento do audiovisual em Santa Catarina é constante. Acompanhe no relatório abaixo nossos avanços, desdobramentos e principais realizações neste último ano.

Contamos com a colaboração de todos para continuarmos o trabalho do SANTACINE!

1 • Convenção Coletiva • Após uma série de reuniões, inclusive com a presença do mediador do Ministério do Trabalho, assinamos a Convenção Coletiva. Acreditamos que chegamos a uma convenção mais moderna e eficiente que a de São Paulo, anteriormente válida para Santa Catarina. 

2 • Deveres e direitos • Algumas empresas associadas ao SANTACINE foram fiscalizadas pelo Ministério do Trabalho, o que nos levou a solicitar uma reunião com a diretoria do SINTRACINE, realizada em 6 de julho. Chegamos a conclusão de que se faz necessário organizarmos um seminário para que ambos os sindicatos e seus associados tenham plena ciência dos seus deveres e direitos, tranquilizando o mercado, inclusive para compreender os critérios do Ministério do Trabalho em suas fiscalizações.

3 • Tabela de Publicidade • O colega Fernando Pereira Oliveira, nosso Diretor Secretário no SANTACINE se reuniu com a presidente do SINAPRO-SC, Rosa Estrella, que recebeu muito bem a nossa sugestão de tabela para publicidade e já a divulgou junto às agências de Santa Catarina. 

4 • FilmComission • Retomamos o assunto junto ao nosso parceiro Sapiens Parque. Acreditamos que, lentamente, estamos criando o ambiente para retornar ao governo estadual e regulamentar a lei de FilmComission estadual vigente, finalmente tirando o projeto do “papel”. 

5 • Criação do FUNCINE, fundo de investimento no audiovisual • Hoje há o ambiente necessário para criarmos o que pode ser um dos mais importantes catalisadores de uma política pública para o audiovisual em Santa Catarina, um fundo provado de investimento na cadeia produtiva do audiovisual. A empresa CVentures, gestora de um fundo de inovação no estado, está disposta a tocar o projeto. Contudo, cabe ao SANTACINE viabilizar um diagnóstico da região, para orientar a elaboração do estatuto do fundo, seus objetivos e valores percentuais de investimento por setor da cadeia produtiva do audiovisual. Iniciamos o diálogo com a UFSC e o SEBRAE neste sentido.

6 • PROJETA SUL • Desde 2009 o SANTACINE tem participado de uma ação conjunta com os colegas do Rio Grande do Sul e Paraná, com o objetivo de sistematizar ações políticas regionais, após a aprovação da Lei 12485. Estivemos juntos em audiência com o Diretor Presidente da ANCINE, Manoel Rangel, para ouvir quais serão as políticas no sentido de desenvolver a produção e a cadeia produtiva na região sul. A ANCINE se mostrou favorável à criação de linhas regionais para o Fundo Setorial Regional, e mais uma vez nos foi solicitado um diagnóstico, agora da região sul, que estamos elaborando junto ao RS e PR.

7 • Reuniões de trabalho • No dia 11 de julho os sindicatos patronais e ABDs se encontraram com a ANCINE e BRDE em Curitiba para iniciar uma série de reuniões de trabalho no sentido de formatar um plano de desenvolvimento da cadeia produtiva do audiovisual da região Sul em até 120 dias, a próxima reunião esta marcada para 16 de agosto em Porto Alegre.

8 • TV Pública em SC • Iniciamos o diálogo com o Sr. Fernando Crócomo, da TV UFSC, no sentido de compreender qual será a política da TV UFSC / TV BRASIL para a produção independente do Estado. Houve abertura para a criação de um conselho de programação, para discutir a ocupação do espaço da grade deixado pela TV Brasil para a produção regional.

9 • Apoio aos festivais • FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul, Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis e FAÇA – Festival Audiovisual Catarinense. O SANTACINE tem, sistematicamente, participado destes importantes festivais de cinema/audiovisual de Santa Catarina, apoiando iniciativas que visem qualificar e/ou discutir o mercado produtor independente. Tivemos a clínica de projetos no FAM2011, debate sobre TV e produção independente e reuniões com distribuidores durante a Mostra de Cinema Infantil, e agora, no FAÇA, o prêmio SANTACINE de produtora destaque catarinense. 

10 • Plano Nacional de Cultura • PArticipação no Fórum Estadual e reunião com a ABPITV. 

11 • MTE • Atualização do cadastro do SANTACINE no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

12 • Filiação FIESC • Retomada do processo de filiação junto à FIESC, com apresentação do Sindicato na Câmara do Trabalho e aprovação da nossa filiação, levando ao agendamento da apresentação do setor para a diretoria da FIESC no dia 17 de agosto.

13 • Site • Atualização do website e criação do Santacine News (disparador de e-mails com novidades sobre o sindicato e os associados).

14 • Palestra • Realização de palestra ministrada pelo presidente do Sindicato, sobre Cinema 3D, e de palestras beneficentes, com arrecadação de doações para o Lar Recanto do Carinho, ministradas pelo presidente (Cinema 3D) e Ricardo Karan (Produção em cinema). 

15 • PROJETA SUL 2 • Realizamos, mais uma vez, durante o FAM 2012, o encontro PROJETA SUL entre as entidades do RS, PR e SC, além de convidar os dirigentes da ANCINE e TVs do Estado de SC para debate sobre a lei 12485, Fundo Setorial do Audiovisual e a regionalização. 

Diante destas ações, alguns desdobramentos se fazem urgente:

Retomar o censo do audiovisual catarinense e buscar parceiros como o SEBRAE e UFSC para realizar o diagnóstico do setor em Santa Catarina. 

Preparar material de apresentação que sirva para a reunião da diretoria da FIESC e outras finalidades.

Promover constante qualificação do setor, no sentido de que os projetos catarinenses se tornem mais competitivos no mercado brasileiro e no exterior. 

Promover debates junto aos associados nas diversas regiões do Estado, a fim de esclarecer e buscar mais colaboradores na execução das atuais metas. 

Saudações cinematográficas da diretoria do SANTACINE.

8º Encontro do Cinema Infantil discute distribuição

8 Encontro do Cinema Infantil discute distribuio

Falta de leis que priorizam o cinema nacional, exibidores que privilegiam o cinema norte-americano e ocupação do mercado pelas distribuidoras estrangeiras. Essas são algumas questões que impedem uma distribuição mais eficiente do cinema produzido no Brasil e vão estar na pauta do 8º Encontro Nacional de Cinema Infantil, que ocorre no sábado, dia 30, das 8h30 às 12h30, no Majestic Palace Hotel, em Florianópolis.

Com o apoio do Sindicato da Indústria do Audiovisual de Santa Catarina (Santacine), o Encontro faz parte da programação da 11ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. Participam os distribuidores Marco Aurélio Marcondes e Abrão Scherer, a diretora da Agência Nacional de Cinema (Ancine) Vera Zaverucha, a secretária do Audiovisual do MinC Ana Paula Santana e a diretora Celia Catunda, que vão debater o tema Desafios Criativos: Distribuição e Conteúdo. A mediação é de Luiza Lins, diretora da Mostra. 

No Encontro serão apresentadas algumas alternativas que têm se mostrado eficiente. Uma delas é o edital da Ancine de distribuição internacional de cinema brasileiro, que está em sua quarta edição. O concurso deste ano, cujas inscrições encerraram no dia 3 de junho, vai contemplar dez projetos de U$ 25 mil, sendo que US$ 15 mil são provenientes do Programa Cinema do Brasil e US$ 10 mil do Ministério das Relações Exteriores.Entre os filmes que já foram beneficiados pela premiação em edições anteriores estão Tropa de Elite 2, distribuído na Polônia, Sonhos Roubados, na França, e Estômago, em Portugal, entre outros.

Para Marco Aurélio, “uma das questões chaves da indústria do audiovisual é colocar os filmes ‘viajando’. Exibi-los de forma sistemática mundo a fora’. Ele é um dos organizadores da Nossa Distribuidora, criada por sete produtoras que detém as maiores bilheterias do Brasil e que incluem títulos como Tropa de Elite, Dois Filhos de Francisco, Se eu Fosse Você e Cidade de Deus. Na política da Nossa Distribuidora, é possível reduzir os custos de comercialização de filmes no mercado nacional e também colaborar para o aumento da competitividade do filme brasileiro e das empresas nacionais.

O quê: 8º Encontro Nacional de Cinema Infantil
Quando: Sábado (30), das 8h30 às 12h30
Onde: Hotel Majestic. Avenida Beira-mar Norte, 2.746, Centro, Florianópolis.
Quanto: Gratuito

TABELA DE VALORES SUGERIDOS

TABELA DE VALORES SUGERIDOS CLIQUE AQUI E ACESSE A TABELA COM VALORES SUGERIDOS PELO SANTACINE E SINAPRO/SC PARA PUBLICIDADE


*********

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 Próxima