Santacine

Conheça o Santacine e o que ele pode fazer pela sua empresa

Conheça Melhor

Notícias

Edital de cinema do BNDES

Edital de cinema do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançará no próximo dia 17 a nova edição de seu edital de cinema, que apoia a produção e finalização de obras de ficção, animação e documentários. As regras estarão disponíveis no site do banco na mesma data, e o prazo para as inscrições vai até 15 de março de 2012.

Podem concorrer projetos já aprovados pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) e que tenham registro ou protocolo de registro de emissão e distribuição de Certificados de Investimento Audiovisual na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no caso dos gêneros ficção e animação, conforme previsto na Lei do Audiovisual.
 
Para documentários, o apoio será realizado por meio de colaboração financeira não-reembolsável, também prevista na Lei do Audiovisual. Não serão aceitas inscrições de projetos já apoiados em editais anteriores do Sistema BNDES ou de produtoras e diretores que estejam em situação de inadimplência com o banco.
 
As regras do edital buscam permitir uma seleção com foco em aspectos que são valorizados pelo BNDES, tais como qualidade do roteiro, governança, potencial comercial, existência de outros investidores que ajudem a viabilizar um determinado projeto, etc. 
 
O edital de cinema é realizado desde 1995. Segundo o BNDES, já foram destinados mais de R$ 147 milhões à produção cinematográfica nacional, seja por meio do edital ou por meio de financiamentos e Fundos de Financiamento da Indústria Cinematográfica Nacional (Funcines).
 
Fonte: Portal Brasil

Cinema do CIC reabre com programação gratuita

Cinema do CIC reabre com programao gratuita

O Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), reinaugurado em 30 de dezembro, reabriu definitivamente sua sala ao público na última sexta-feira e até o dia 15 de janeiro oferecerá sessões diárias gratuitas. O equipamento cultural é administrado pelo Governo do Estado, por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

A programação do Cinema do CIC foi definida por uma curadoria coordenada pela direção do Museu de Imagem e do Som (MIS), e prevê produções beneficiadas pelo Prêmio Cinemateca Catarinense. O novo operador do espaço por um período de até 180 dias é o Paradigma Cine Arte.

A revitalização do Cinema do CIC comporta espaços especiais atendendo ao direito à acessibilidade, com poltronas para obesos e com mobilidade reduzida, além de espaços para cadeirantes. O auditório que tem capacidade para 137 pessoas, ganhou um tratamento acústico especial em todo o chão entre as cadeiras, paredes e teto. 

A foto que ilustra a matéria mostra a sessão especial que marcou a reabertura da sala de Cinema, com o filme “Qual Queijo você quer?”, de Cintia Bittar. Na ocasião, foram apresentadas três sessões para atender ao público de aproximadamente 500 pessoas que marcou presença, apesar da forte chuva daquele dia. 

Confira a programação completa no site da FCC

TV Câmara licencia documentários

TV Cmara licencia documentrios

A TV Câmara lançou nessa semana seu segundo edital para compra da licença para exibição de 42 documentários de média-metragem. A emissora vai pagar R$ 5.000,00 para ter o direito de exibir as obras audiovisuais em sua programação por 24 meses. Os documentários, que não precisam ser inéditos nem serem exclusivamente exibidos pela TV Câmara, deverão ter uma duração mínima de 20 minutos e máxima de 59 minutos. As regras do concurso estão disponíveis no site www.tv.camara.gov.br .

Cada realizador, pessoa física ou jurídica, poderá inscrever até três obras audiovisuais das quais detenha os direitos autorais. Os documentários inscritos deverão abordar um ou mais de um dos seguintes temas: comunicação, cidadania, educação, economia, humanidades, política ou saúde. As inscrições são gratuitas, estarão abertas até 15 de fevereiro de 2012 e deverão ser feitas por meio postal.

Este é o segundo concurso para compra do direito de exibição de documentários realizado pela TV Câmara. No primeiro certame, em 2009, foram inscritas mais de 400 obras audiovisuais.

Outras informações sobre o 2º Concurso de Documentários da TV Câmara podem ser obtidas pelo email concursodocs@camara.gov.br ou com Alessandra Anselmo, presidente da Comissão Especial de Licitação encarregada de organizar o certame, no telefone (61) 3216-1613 ou 3216-1643.

Publicados os cinco novos editais do Audiovisual

Publicados os cinco novos editais do Audiovisual

A SAv anunciou o lançamento do programa de fomento à produção audiovisual brasileira/2011, visando à realização de cinco editais.

Confira abaixo as informações sobre os editais:
 
Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais Cinematográficas, Inéditas, de Ficção, de Baixo Orçamento – apoiará, com até R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais), a produção de 10 (dez) projetos. Confira aqui o edital.
 
Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais Inéditas de Curta Metragem, do Gênero Ficção, Documentário e Animação – fomentará a produção de até 25 (vinte e cinco) projetos, destinando apoio individual no valor de até R$ 100.000,00 (cem mil reais). Confira aqui o edital.
 
Edital de Apoio ao Desenvolvimento de Roteiros Cinematográficos Inéditos, de Ficção para Roteiristas Profissionais – tem o objetivo de selecionar até 13 (treze) projetos, que terão apoio individual no valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais). Confira aqui o edital.
 
Edital de Apoio ao Desenvolvimento de Roteiros Cinematográficos Inéditos, de Ficção para Roteiristas Estreantes – irá fomentar a produção de até 10 (dez) projetos, com o valor de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para cada um. Confira aqui o edital.
 
Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais Cinematográficas do Gênero Documental inéditas – prevê a seleção de até 5 (cinco) projetos, destinando apoio individual no valor de até R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais). Confira aqui o edital.
 
Informações: concurso.sav@cultura.gov.br

Santa Catarina no circuito do cinema nacional

Santa Catarina no circuito do cinema nacional

Confira matéria publicada no jornal O Globo desta quinta-feira, 15 de dezembro, sobre o audiovisual catarinense. Abaixo na íntegra:

Rodado em Florianópolis, “A antropóloga, dirigido por Zeca Pires ao custo de R$ 1,5 milhão, estreia no Rio nesta sexta-feira, na esteira de uma série de conquistas que o cinema de Santa Catarina, pouco conhecido fora do estado, contabilizou em 2011. Dois curtas catarinenses —  Mais ou menos”, de Alexander Antunes Siqueira,  e “Qual queijo você quer?”, de Cíntia Domit Bittar — ganharam prêmios nos principais festivais brasileiros. De Floripa veio também o documentário de 52 minutos “JK no exílio”, de Charles Cesconetto, que estreou em novembro. Agora é vez do filme de Zeca, sobre uma pesquisadora (Larissa Bracher) que se depara com elementos sobrenaturais. Nesta entrevista, o cineasta analisa o aumento da produção em sua terra natal.

O GLOBO: Representante de um estado sem tradição no longa-metragem, “A antropóloga”somou seis mil pagantes em sua trajetória comercial, limitada a Florianópolis. Mesmo sem astros famosos e sem um orçamento grande, o filme disputou o posto de representante brasileiro na briga por uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro. De que maneira seu filme ainda pode contribuir para aumentar a visibilidade do cinema de Santa Catarina?

ZECA PIRES: A inclusão de filmes como “Qual queijo você quer?” em festivais e a estreia de “A antropóloga” mostram que estamos evoluindo em qualidade e quantidade. Essa evolução vem das políticas de fomento que trabalhamos para fazer funcionar e da chegada de uma nova turma, cheia de raça, formada pelos cursos de cinema, que está fazendo bons filmes.

Esse aumento da produção criou um novo perfil para o cinema catarinense?

Esses novos filmes mostram que nosso cinema é um mosaico fruto da influência cultural dos açorianos, dos italianos, dos alemães, dos poloneses e dos japoneses que marcaram presença na nossa colonização. E o nosso cinema se beneficia da nossa configuração geográfica.  As praias todas que temos formam um cenário natural.

Conhecido pelo thriller “Procuradas” (2004), que dirigiu com José Frazão, você aposta em elementos sobrenaturais típicos da colonização açoriana em “A antropóloga.  De que forma o filme lida com esse mosaico cultural de seu estado?

Meu trabalho no cinema, desde meus curtas, está ligado à cultura popular. E “A antropóloga”, que tem uma linguagem clássica, é fruto da observação dessa cultura à qual eu pertenço.

Você tem um projeto de longa sobre Antoine de Saint-Exupéry, o autor de “O pequeno príncipe. Quando filma? 

O filme se chama “O aviador francês” e está previsto para 2013. Marcelo Esteves, que é professor na Escola de Cinema Darcy Ribeiro, no Rio, está escrevendo o roteiro comigo. A trama aborda a passagem de Saint-Exupéry por Santa Catarina. (R.F.) ■

Anterior 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 Próxima